Lista de medicamentos para abrir uma farmácia: qual o mix ideal de produtos?

Existe uma lista de medicamentos para abrir uma farmácia?

Sim, existe! Trata-se de uma lista de medicamentos básicos ou indispensáveis. 

Com ela, você pode oferecer um mix inicial de produtos quando ainda não conhece muito bem seus clientes e precisa oferecer o mínimo para suprir as necessidades deles.

E é na hora de montar o estoque inicial que surge essa lista. 

 

Mas será que vale a pena basear-se em listas como a dos medicamentos mais procurados nas farmácias ou na de remédios mais vendidos?

 

Ferramentas de PBM, como o Portal da Drogaria, possibilitam que sua farmácia venda alguns medicamentos com descontos de fábrica, e podem servir como guia na montagem do seu estoque inicial de medicamentos de uso contínuo. Mas, só isso não basta!

Por essa razão, hoje, te ajudamos a identificar um excelente mix de produtos para montar o seu estoque inicial.

Você pode fazer o download da lista de medicamentos para abrir uma farmácia no formulário abaixo. 

Basta preenchê-lo e você receberá a lista no seu e-mail antes mesmo de terminar de ler este artigo! 

Entretanto, recomendamos que você o leia por completo, pois apresentamos outras dicas e informações importantíssimas na hora de começar um negócio farmacêutico.

Vamos lá?

Como montar um mix ideal 

Imagine que você está montando uma lista de supermercado. 

Quais fatores considera indispensáveis para a escolha de cada produto listado? Marca? Quantidade de pessoas que consomem ou indicam o item? Qualidade ou, até mesmo, quem fabrica?

Em suma, todas as condições mencionadas acima têm impacto sobre a lista de compras.

Da mesma forma, existem detalhes cruciais que devem ser considerados ao montar o estoque inicial para abertura de uma farmácia ou drogaria. E conhecê-los é essencial para montar o mix de produtos e a lista de medicamentos.

 

Mas antes de começar, você precisa conhecer algumas características do mercado e o perfil dos seus clientes.

Segundo pesquisa do Datafolha/ICTQ (Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade), ao escolher uma farmácia, os consumidores consideram aspectos como preços, localização e atendimento.

Ainda de acordo com a pesquisa, 55% dos clientes de farmácias e drogarias são mulheres e 45% homens. Além disso, a maior parcela dos compradores exerce atividade remunerada e pertence à Classe C.

Para saber um pouco mais a respeito do perfil dos clientes e como usá-lo a seu favor, consulte nosso artigo sobre técnicas de vendas e sobre os tipos de consumidor.

Mas você também precisa saber que em qualquer catálogo de farmácias haverá diferentes categorias de produtos. 

Em primeiro lugar, os medicamentos são os itens que mais atraem clientes (52%), e em segundo, os cosméticos e itens de higiene pessoal (44%).

Entenda agora quais são as categorias de produtos e o que é classe de medicamento, fatores importantíssimos que devem ser considerados se você busca uma lista de medicamentos para abrir uma farmácia. 

 

Produtos controlados

São os medicamentos sujeitos a um controle especial, ou seja, que precisam de prescrição médica para serem vendidos. 

Estes medicamentos especiais estão catalogados na Portaria 344/98, que corresponde ao Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

Em geral, os medicamentos controlados são entorpecentes, psicotrópicos, imunossupressores e retinoides e exigem que o cliente apresente uma receita médica ou notificação de receita.

O órgão responsável pela Portaria 344/98 é a Anvisa, que atualiza regularmente o documento, sempre reformulando a relação de substâncias controladas. 

Portanto, é sempre bom se manter atento ao seu conteúdo!

 

Produtos liberados 

São os Medicamentos Isentos de Prescrição, conhecidos pela sigla MIP. Eventualmente, são chamados também a partir da sigla em inglês OTC, que significa “Over the Counter”, literalmente “sobre o balcão”.

Sendo a maioria dos produtos medicamentosos em qualquer catálogo de farmácias, os MIPs foram especificados em lista publicada pela Anvisa na RDC 138 em 2003.

Estes produtos são os mais procurados e vendidos em farmácias, e como não exigem uma atenção especial aos clientes que os procuram, podem ficar acessíveis em gôndolas e prateleiras.

Além disso, este tipo de produto permite a intercambialidade de medicamentos, conceito este relacionado às classes de medicamento e que você entenderá melhor a partir de agora.

 

Classes de medicamentos 

É indispensável que você esteja familiarizado com o conceito de classe de medicamento se está buscando uma lista de medicamentos para abrir uma farmácia. 

Atualmente, as classes de medicamentos são três: os medicamentos de referência, os similares, e os genéricos.

 

Os medicamentos de referência, ou éticos, são os primeiros para um determinado tipo de tratamento. Ou seja, são as fórmulas novas que chegam ao mercado e se tornam justamente referências em tratamentos onde antes não havia medicamentos ou só medicamentos menos específicos ou eficazes.

Quando um medicamento de referência tem sua patente quebrada e sua fórmula é reproduzida por outras empresas, chega-se então aos medicamentos similares e genéricos. 

 

Os medicamentos similares podem apresentar marca comercial e pequenas variações no que diz respeito à forma farmacêutica, embalagens etc. quando comparados ao medicamento de referência, desde que tenha em comum com ele o mesmo princípio ativo. 

 

O medicamento genérico, porém, não pode apresentar marca comercial, mas apenas o nome do seu princípio ativo na forma da Denominação Comum Brasileira (DCB).

Além disso, o genérico deve reproduzir não apenas a fórmula como também a forma farmacêutica do medicamento de referência (cápsula, injeção etc.)

 

Por fim, é preciso entender também que os medicamentos similares podem acabar se tornando medicamentos de referência, ainda que tenha sido criado a partir daquele que foi avaliado pelo comitê de ética da ANVISA.

Assim, existe uma certa confusão quando o tema é medicamento ético x similar x referência x genérico.

Quer entender tudo sobre esse tema? Então clique no botão abaixo:

   

Correlatos

Os produtos correlatos não são exatamente medicamentos, mas também são usados em tratamentos ou questões de saúde de uma forma geral.

Assim, pertencem a esta categoria produtos como suplementos alimentares, termômetros, plantas medicinais, extratores de leite, chupetas, mamadeiras e produtos de higiene pessoal, como absorventes, lenços umedecidos etc.

Os cosméticos em geral também são considerados correlatos, embora esse tipo de produto seja melhor classificado como perfumaria.

No fim, itens de higiene pessoal, cosméticos e perfumaria integram um grande grupo conhecido como HPC (higiene pessoal, perfumaria e cosméticos).

 

Perfumaria

Constitui o setor de perfumaria de uma farmácia tudo que não é medicamento nem conveniência.

Em muitos casos, podem ser os principais produtos responsáveis por atrair clientes para o seu negócio. 

Uma pesquisa do Datafolha/ICTQ revelou que só 16% da população vê a farmácia como um estabelecimento de saúde.

Ou seja, a maioria das pessoas enxerga farmácias e drogarias como mini mercados, lojas de cosméticos ou, ainda, lojas de conveniência

Desse modo, ao formular seu catálogo, é bom considerar não apenas as listas de medicamentos, mas também de vários outros produtos que serão responsáveis pelo sucesso do seu empreendimento.

Mas sempre lembrando que TODOS os produtos comercializados em farmácia devem ter aprovação da ANVISA. Assim, dispense os produtos artesanais e afins.

 

Conveniência

Sob o conceito de drugstore, definido com base na Lei 5.991/73, muitas farmácias incluem os produtos de conveniência em seus catálogos.

O documento que regula os tipos de produtos que podem ou não ser comercializados em farmácias, no entanto, é a Instrução Normativa (IN) no 09/09

Nela, é possível encontrar algumas restrições a determinados tipos de produtos, embora, de uma maneira geral, possamos dizer que não há restrições para a venda de produtos de natureza diferente da farmacêutica em estabelecimentos do tipo.

Para conseguir maiores informações a este respeito, clique no botão abaixo: 

   

Quantidades de cada tipo de medicamento

Não existe uma fórmula que defina qual a porcentagem específica de cada tipo de medicamento a ser vendido em farmácias. 

Inúmeras variantes podem determinar esse número.

Por outro lado, há uma estatística da proporção ideal de acordo com estudos na área.

 

Esta divisão consiste em:

  • 20% a 30% de perfumaria;
  • 40% a 50% de medicamentos genéricos e similares;
  • 10% a 20% de medicamento referência, podendo variar para menos;
  • 10% a 20% de nutracêuticos e suplementos.

Na escala voltada apenas aos medicamentos, a divisão ideal é a seguinte:

  • 50% medicamentos genéricos e similares;
  • 10% medicamentos de referência.

Aqui é importante ressaltar que esses números são totalmente passíveis de alterações.

 

Após reunir os dados e respostas, levante seu valor de investimento e considere questões como o espaço físico disponível para dispor seus medicamentos e o valor de cada um. 

Uma estratégia interessante é trabalhar com um remédio de referência e outro genérico ou similar com um custo inferior. 

Desta forma é possível vender genéricos e similares a partir do medicamento de referência ou aplicar uma margem melhor e lucrar mais.

E o mais importante que você precisa ter em mente: quanto mais você vender, mais terá que disponibilizar em seu estoque

Outra forma de definir quantidades é tomar como base os valores de cada medicamento. 

Nesse sentido, basta se perguntar: se o produto custa 50 centavos, vale a pena comprar muitas unidades? E se custar R$50,00?

   

Lista de medicamentos 

A seguir, apresentamos algumas listas de remédios mais vendidos na farmácia nos últimos três anos, bem como a lista de medicamentos mais procurados no Google para que você tenha uma boa ideia de onde começar.

Lembrando que você pode baixar a lista completa de medicamentos para abrir uma farmácia clicando aqui.

Mas, agora, vejamos de que forma podemos usar a ferramenta de pesquisa Google na hora de definir o mix inicial de produtos da sua farmácia.

 

Que o Google é o maior buscador web do mundo, você já deve saber... 

Mas você sabia que ele pode ser uma excelente ferramenta de pesquisa na hora de montar a lista de medicamentos para a sua farmácia

Ou na hora de montar uma farmácia online… 

E, até mesmo, caso você queira ter um aplicativo para aumentar as vendas da sua farmácia ou drogaria? 

 

Uma pesquisa realizada pelo próprio buscador, sobre como os brasileiros procuram e consomem conteúdo de saúde na plataforma de busca, revelou que 26% da população brasileira recorre ao Google assim que se depara com um problema. 

Isto, antes mesmo de procurar por um médico!

Então, devido à relevância dos dados, apresentamos abaixo uma lista dos medicamentos mais buscados no Google, seguido pelos números de buscas mensais de cada um. 

 

Confira a lista de medicamentos mais buscados no Google

Medicamento Volume de buscas no Google
Ibuprofeno 301.000
Nimesulida 301.000
Prednisona 246.000
Fluconazol 201.000
Cetoprofeno 165.000
Omeprazol 135.000
Cetoconazol 135.000
Dexametasona 135.000
Paracetamol 110.000
Predsim 110.000
Dipirona 90.500
Buscopan 90.500
Profenid 90.500
Toragesic 90.500
Ranitidina 90.500
Domperidona 90.500
Dorflex 74.000
Albendazol 74.000
Sinvastatina 74.000
Secnidazol 74.000

Remédios mais vendidos nos últimos três anos

Vejamos agora as relações de medicamentos éticos mais vendidos em farmácias nos últimos três anos.

Os responsáveis pelo levantamento destes dados são a Anvisa e a IQVIA, maior empresa do mundo em pesquisa e uso de informações e tecnologia na área da saúde. 

Conhecendo a relação dos medicamentos mais procurados nas farmácias, você consegue ter uma boa ideia de como eles podem variar, sendo determinados por inúmeros fatores além da mera questão da sazonalidade.

 

Começamos com os remédios mais vendidos na farmácia em 2020:

  1. Xarelto
  2. Dorflex
  3. Aradois
  4. Glifage xr
  5. Saxenda
 

Vejamos agora a relação dos medicamentos mais vendidos no ano de 2019:

  1. Xarelto 
  2. Dorflex
  3. Saxenda
  4. Glifage xr
  5. Neosaldina
 

Por último, vejamos uma lista dos éticos mais vendidos em 2018:

  1. Xarelto
  2. Aradois
  3. Citrato de Sildenafila
  4. Torsilax
  5. Diovan
   

Distribuidoras de medicamentos

Encontrar bons fornecedores de remédios para farmácias, que sejam confiáveis e de qualidade, é fundamental em qualquer negócio, ainda que possa configurar um certo desafio para a gestão farmacêutica.

 

Se você está montando uma lista de medicamento para abrir uma farmácia, precisa saber com quem comprá-los

Portanto, apresentamos uma relação das principais distribuidoras farmacêuticas do Brasil e como negociar com elas.

Certamente, após conhecê-la, você terá mais facilidade para iniciar a sua lista de medicamentos para abrir uma farmácia.

 

Confira no botão abaixo uma lista com as principais referências no mercado distribuidor de medicamentos para farmácias! 

Nossa discussão te ajudará informações úteis na hora de negociar produtos.

Além disso, você terá dicas de como lidar com o de fato do mercado farmacêutico, atualmente, estar muito competitivo, de modo que os farmacêuticos iniciantes ou de empresas menores costumam se deparar com dificuldades na hora de negociar com fornecedores. 

Por fim, apresentamos a relação dos fornecedores divididos por regiões do país, e assim facilitamos para que você encontre uma boa distribuidora de farmácia diretamente da sua região. Confira!

   

Vale a pena abrir uma farmácia?

Segundo dados do Conselho Federal de Farmácia (CFF), até o final de 2020, já haviam 89.879 farmácias e drogarias em todo o Brasil. 

Comparando esses dados aos de 2019, houve uma abertura de 909 novas farmácias em 2020. 

Isso nos dá uma boa ideia do quanto o mercado farmacêutico vem se tornando cada dia mais competitivo. 

Porém, é preciso considerar que, ao mesmo tempo em que há regiões com uma competição muito alta, há aquelas em que o mercado farma está quase ausente ou não tem números proporcionais ao da população. 

 

Então, sim! Vale a pena abrir uma farmácia!

 

O mercado farmacêutico é promissor e tende a crescer nos próximos anos. 

Dados do IQVIA, a já citada multinacional que fornece informação em saúde e pesquisa clínica, projetam crescimento para o setor em 2021, sendo que o mercado farmacêutico no Brasil já vinha faturando mais de 100 bilhões de reais por ano.

É importante destacar que esses resultados são os mais positivos em toda história da farmácia

Por outro lado, muitos aspectos favorecem somente empreendedores que possuem conhecimento e boas estratégias de mercado.

Por exemplo, um dos modelos de venda que mais tem crescido no Brasil, não só para o nicho de farmácias, é o das vendas online

De acordo com relatório da Ebit/Nielsen em parceria com o Bexs Banco, o volume de vendas pelo e-commerce no primeiro semestre de 2021 cresceu 31% em relação ao mesmo período no ano anterior.

O varejo farmacêutico é um dos que mais crescem no meio online, perdendo apenas para o comércio de eletrônicos que cresceu 120% no ano de 2020, segundo a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). 

Só no primeiro semestre do ano passado, foram movimentados cerca de 720 milhões de reais em vendas no varejo farmacêutico online.

Por isso, é bom saber que você pode contar com um suporte especializado em e-commerces farmacêuticos  na hora de montar sua farmácia ou drogaria. 

 

Se você está abrindo uma farmácia agora ou querendo ampliar suas formas de atendimento para incluir a modalidade online, precisa conhecer a MyPharma!

A MyPharma é única plataforma de e-commerce do Brasil totalmente focada em farmácias e drogarias!

Além disso, oferece uma série de serviços e facilidades para quem quer faturar no varejo online, além de ser uma excelente alternativa para quem está começando e não sabe muito bem como driblar algumas dificuldades do mercado competitivo. 

Veja mais detalhes a seguir!

 

Conheça a MyPharma

As grandes redes têm maior estoque de produtos porque, junto a isso, possuem dinheiro para fazer publicidade e propaganda em diversos meios de comunicação (TV, rádio, jornal e plataformas digitais). 

Isso se torna uma vantagem muito grande para elas, aumentando consideravelmente suas vendas.

 

O que fazer, então, neste caso, quando parece tão difícil bater a concorrência de grandes redes e franquias de farmácias?

 

Um investimento que eventualmente renderá bons frutos é o de se juntar a uma Associação Farmacêutica

As associações têm por característica ajudar seus associados a competirem por preços no mercado.

Como parte de uma associação, você terá a possibilidade de negociar diretamente com laboratórios e indústrias, além, é claro, das distribuidoras. 

Comprando coletivamente, você terá mais chances de conseguir os melhores preços e as condições de pagamento ideais. 

 

Mas o mais importante para os donos de farmácia, considerando-se as tendências atuais do mercado, é investir no delivery e na farmácia online. 

 

Por isso, indicamos às pequenas farmácias que se informem e incluam em seus planos a utilização de plataformas de delivery como a MyPharma

A MyPharma oferece a oportunidade de ampliar as vendas pela internet com eficiência e praticidade a um custo reduzido. 

Com mais de 40 mil produtos já cadastrados, você não precisa cadastrar item a item. Tudo está pronto para começar a vender. 

Assim, ela agiliza a transição para o negócio online e não cobra taxas sobre as suas vendas!

Posteriormente, aliado a isso, sugerimos que você anuncie também em redes sociais, que são um excelente meio para comunicar promoções e manter um relacionamento mais próximo com seus clientes.

Veja no vídeo abaixo como a MyPharma pode ajudar sua farmácia ou drogaria a crescer cada vez mais, promovendo seu ticket médio e faturamento com uma loja online e delivery de medicamentos.

.

Conclusão

Agora que você já reuniu todas as informações de que precisava para definir seu mix de produtos iniciais, está pronto(a) para iniciar a sua experiência neste importante setor do comércio que é a venda de medicamentos.

Também não deixe de se informar melhor quanto aos tipos de produtos que há em uma farmácia e quanto às diferentes classes de medicamentos

 

Além disso, lembre-se de reunir o maior número possível de dados a respeito do perfil dos seus clientes. Tais questões são essenciais para que você direcione de modo mais eficiente as suas definições quanto aos produtos que oferecerá.

De qualquer forma, mesmo depois de receber sua lista de medicamentos para abrir uma farmácia, mantenha-se sempre atento às listas de remédios mais procurados e mais vendidos nas farmácias, bem como às de produtos de perfumaria e conveniências mais populares.

 

E se encontrar dificuldades ou estiver enfrentando problemas com fornecedores de remédios, lembre-se de que possui à mão uma boa relação de distribuidoras em território nacional, além de dicas preciosas e várias outras informações sobre o tema.

Caso tenha qualquer outra dúvida em relação à abertura de farmácia ou quiser dicas e informações para manter seu negócio sempre em alta, fique ligado no blog da MyPharma

Aqui, você sempre encontra conteúdos de qualidade e totalmente focados no seu crescimento! 

 

Para baixar a sua lista de medicamentos para abrir uma farmácia, clique aqui.

 

E se estiver interessado em fortalecer o seu negócio no meio online, seja simplesmente para melhorar sua divulgação ou por tomar a sábia decisão de oferecer aos seus clientes a opção de compras pela internet, entre em contato agora mesmo com a MyPharma, agendando uma conversa no botão abaixo:

 

Hey! Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar produzindo conteúdos de qualidade que melhoram o dia a dia da sua farmácia!

Sua farmácia continuará perdendo clientes
por não ter presença online?

Assista agora uma demonstração sem compromisso.
ASSISTIR DEMONSTRAÇÃO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram