Confira a lista de medicamentos que não precisam de receita atualizada em 2022

Neste artigo, você pode baixar a lista de medicamentos que não precisam de receita — mas ela não poderia vir desacompanhada de um alerta quanto aos perigos da automedicação.

Afinal, a noção de que há medicamentos isentos de prescrição pode gerar a falsa ideia de que eles podem ser usados despreocupadamente.

Segundo o Conselho Federal de Medicina, 77% dos brasileiros se automedicam, sendo que 25% deles o faz pelo menos uma vez por semana.

Nesse cenário, os principais influenciadores para a escolha dos medicamentos autoministrados são amigos, familiares e vizinhos, mesmo sem nenhum preparo médico.

Você verá que as diferenças entre os remédios que podem ser vendidos sem receita (MIPs) e os controlados não residem na ausência de riscos para o uso de MIPs.

É fundamental que o conhecimento da lista de medicamentos que não precisam de receita (LMIP) venha acompanhada dessa compreensão do que eles são e dos cuidados que se deve ter com eles.

O texto traz também a lista completa sem necessidade de download, incluindo os fitoterápicos especificados nela. 

Para informações mais detalhadas sobre cada medicamento da lista, como indicações e subgrupos terapêuticos/farmacológicos, opte por baixá-la.

Preencha o formulário abaixo e receba a lista de medicamentos que não precisam de receita 2022 por e-mail!

Diferenças entre os medicamentos que não precisam de receita e os controlados 

Remédios que não precisam de receita são conhecidos pelas siglas MIP (Medicamentos Isentos de Prescrição) ou OTC (do inglês “Over the Counter”, ou “sobre o balcão”).

Isso quer dizer que eles podem ficar ao alcance dos clientes nas prateleiras ou colocados estrategicamente no checkout, mas não que seu uso dispensa cuidados.

Em geral, são medicamentos sem tarja ou de tarja amarela.

O ideal é que seu consumo seja acompanhado por um(a) médico(a) ou orientado pelo(a) farmacêutico(a), para evitar consequências desagradáveis.

Tanto há que se ter cuidado com esses remédios que a Anvisa revê e atualiza constantemente  a lista de medicamentos que não precisam de receita.

Assim, além de manter-se alerta quanto às atualizações, é bom conhecer também a RDC 138, legislação que rege a venda de MIPs.

Já os medicamentos controlados exigem a apresentação de receita ou notificação de receita, retidas pelas farmácias.

Eles são regulamentados pela Portaria 344/98 e apresentam diferentes cores de tarjas em seus rótulos.

Tanto os medicamentos isentos de prescrição quanto os controlados fazem parte do mix ideal de produtos de uma farmácia, não podendo faltar nenhum dos dois em seu catálogo.

Portanto, vejamos com um pouco mais de detalhes o que são os MIPs e como funciona o sistema de classificação por tarjas.

 

Critérios que definem um MIP

A legislação mais recente para definição de quais remédios são isentos de prescrição estabelece critérios muito importantes.

Basicamente, um MIP deve apresentar solução para sintomas fáceis de serem identificados por qualquer pessoa.

Assim, grande parte deles trata “dores comuns” ou quadros mais simples como gripes e resfriados.

Além disso, os remédios devem ser manejáveis de forma simples, de preferência em formas líquidas ou comprimidos.

Quanto à segurança, eles representam um baixo risco de dano à saúde, toxicidade, dependência ou interações medicamentosas.

Isso, claro, quando são usados de maneira adequada.

Por isso é importante sempre consultar a bula ou buscar orientação médica ou farmacêutica.

A utilização desses medicamentos deve ser feita por tempo limitado, conforme instruções de uso. As exceções são alguns fitoterápicos e remédios específicos para prevenção ou para doenças de baixa gravidade.

O uso prolongado de MIPs pode representar um grave risco à saúde.

Se a medicação não estiver causando os efeitos esperados, o ideal é procurar um(a) médico(a), pois a persistência dos sintomas pode ser indicação de uma doença mais grave.

Todo remédio sem receita costuma ser muito eficiente, especialmente porque seus princípios ativos precisam estar no mercado há mais de 10 anos, tempo dividido em: 

  • 5 anos como medicamento sob prescrição no Brasil
  • e 5 anos como MIP no exterior, em países com critérios de classificação compatíveis com os brasileiros.

Desse modo, quando passam a ser vendidos sem prescrição, esses medicamentos já possuem um longo histórico e informações consistentes sobre seu consumo.

 

Classificação de medicamentos pela cor das tarjas

As cores das tarjas utilizadas nas embalagens dos medicamentos correspondem ao seu grau de risco e podem indicar a necessidade ou não de prescrição médica.

A ausência de tarja na embalagem significa que aquele é um remédio sem receita.

Já a tarja amarela é usada para medicamentos genéricos, que podem ou não exigir prescrição para serem vendidos.

Por definição, na tarja amarela deve sempre aparecer a letra G e a inscrição “Medicamento Genérico”, em letras azuis.

 

Já a tarja vermelha também apresenta uma inscrição na tarja, em letras brancas, que diz: “Venda sob prescrição médica”.

Medicamentos de tarja vermelha que não trazem essa legenda não devem ser comercializados.

Os que trazem, devem ser colocados atrás do balcão e entregues ao consumidor apenas após a apresentação da  receita, e conclusão do processo de liberação de venda. 

Em muitos casos, a receita deve ficar retida na farmácia. Isso também estará indicado na inscrição da tarja, que então acrescentará: “Só pode ser vendido com retenção de receita”.

Medicamentos de tarja vermelha possuem muitas contraindicações e podem provocar efeitos colaterais graves.

 

A tarja preta, por sua vez, indica um remédio de alta periculosidade, que deve ficar trancado no armarinho, que só deve ser acessado pelo(a) farmacêutico(a) responsável. 

Dentro da tarja preta, apresenta-se a inscrição em letras brancas: “Venda sob prescrição médica - o abuso deste medicamento pode causar dependência”.

Em geral, medicamentos de tarja preta têm uma ação sedativa e atuam no sistema nervoso central, possuindo substâncias psicotrópicas e antimicrobianas.

Além de dependência, eles podem provocar diversos outros efeitos colaterais e reações adversas.

Por isso, há um controle muito grande sob sua venda, que só é liberada com receitas especiais, nas cores azul,  amarela ou branca (de controle especial).

   

Lista completa de MIPs 

A seguir, você confere a atualização da Anvisa para a lista de medicamentos que não precisam de receita 2022.

Os medicamentos estão indicados pelo princípio ativo e eventualmente apresentam mais de um formato.

Em seguida à lista dos medicamentos, apresentamos também uma lista de fitoterápicos que não precisam de prescrição para comercialização em farmácias e drogarias.

 

Lista de medicamentos que não precisam de receita (LMIP 2022) 

  1. Aceclofenaco
  2. Acetato de hidrocortisona
  3. Acetilcisteína
  4. Acetilcisteína (solução nasal)
  5. Acetilcisteína (solução oral)
  6. Acetilracemetionina + citrato de colina + betaína
  7. Ácido acetilsalicílico comprimido
  8. Ácido acetilsalicílico comprimido revestido de liberação prolongada
  9. Ácido acetilsalicílico + ácido ascórbico (Vit. C) comprimido 
  10. Ácido acetilsalicílico + ácido ascórbico (Vit. C) comprimido efervescente
  11.  Ácido acetilsalicílico + cafeína
  12. Ácido acetilsalicílico + maleato de clorfeniramina + cafeína
  13. Ácido acetilsalicílico + maleato de dexclorfeniramina + cloridrato de fenilefrina + cafeína
  14. Ácido acetilsalicílico + paracetamol + cafeína   
  15. Ácido azeláico creme
  16. Ácido azeláico gel
  17. Ácido benzóico + ácido salicílico + iodo metálico   
  18. Ácido bórico + ácido salicílico + enxofre + óxido de zinco
  19. Ácido salicílico
  20. Ácido undecilênico + undecilenato de sódio + ácido propiônico + propionato de sódio + hexilresorcinol
  1. Ácido undecilênico + undecilenato de zinco + propionato de cálcio 
  2. Alantoína + triclosana + óxido de zinco
  3. Álcool polivinílico
  4. Alfaestradiol
  5. Alginato de sódio + bicarbonato de potássio
  6. Alginato de sódio + bicarbonato de sódio + carbonato de cálcio comprimido mastigável
  7. Alginato de sódio + bicarbonato de sódio + carbonato de cálcio suspensão oral
  8. Ascorbato de sódio + colecalciferol + citrato de zinco tri-hidratado
  9. Bacillus cereus
  10. Bicarbonato de sódio + carbonato de magnésio + carbonato de cálcio + carbonato básico de bismuto granulado
  11. Bicarbonato de sódio + carbonato de magnésio + carbonato de cálcio + carbonato básico de bismuto pastilha
  12. Bicarbonato de sódio + carbonato de magnésio + carbonato de cálcio + carbonato básico de bismuto pó para solução oral
  13. Bicarbonato de sódio + carbonato de sódio
  14. Bicarbonato de sódio + carbonato de sódio + ácido acetilsalicílico + ácido cítrico
  15. Bicarbonato de sódio + carbonato de sódio + ácido cítrico
  16. Bisacodil
  17. Bromidrato de dextrometorfano
  18. Butilbrometo de escopolamina comprimido revestido
  19. Butilbrometo de escopolamina solução oral
  20. Butilbrometo de escopolamina + dipirona comprimido revestido
  1. Butilbrometo de escopolamina + dipirona solução oral
  2. Butilbrometo de escopolamina + paracetamol
  3. Cânfora
  4. Cânfora + eucaliptol + mentol + guaiacol
  5. Carbocisteína
  6. Carbômer + sorbitol
  7. Carbômer 940
  8. Carbonato de cálcio
  9. Carbonato de cálcio + hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio comprimido mastigável
  10. Carbonato de cálcio + hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio pastilha
  11. Carmelose sódica
  12. Cetoconazol creme dermatológico
  13. Cetoconazol xampu
  14. Citrato de colina + betaína + racemetionina
  15. Cloreto de benzalcônio + ácido bórico
  16. Cloreto de benzalcônio + óxido de zinco + cânfora
  17. Cloreto de cetilpiridínio
  18. Cloreto de cetilpiridínio + benzocaína pastilha
  19. Cloreto de cetilpiridínio + benzocaína solução
  20. Cloreto de cetilpiridínio + borato de sódio + benzocaína
  1. Cloreto de cetilpiridínio + cloreto de cetalcônio
  2. Cloreto de dequalínio + benzocaína
  3. Cloreto de sódio gel nasal
  4. Cloreto de sódio solução nasal
  5. Cloreto de sódio + gliconato de zinco + glicose + citrato de sódio + citrato de potássio 2,076 + 0,061 + 25 + 0,94 + 2,16 mg/mL
  6. Cloreto de sódio + gliconato de zinco + glicose + citrato de sódio + citrato de potássio 1,757 + 0,06 + 11,88 + 2,892 + 1,506 mg/mL
  7. Cloridrato de ambroxol cápsula dura de liberação prolongada
  8. Cloridrato de ambroxol solução oral
  9. Cloridrato de amorolfina creme dermatológico
  10. Cloridrato de amorolfina esmalte
  11. Cloridrato de azelastina
  12. Cloridrato de benzidamina colutório
  13. Cloridrato de benzidamina creme
  14. Cloridrato de benzidamina pastilha   
  15. Cloridrato de bromexina solução oral
  16. Cloridrato de bromexina xarope
  17. Cloridrato de butenafina
  18. Cloridrato de clobutinol
  19. Cloridrato de difenidramina + cloreto de amônio + citrato de sódio pastilha
  20. Cloridrato de difenidramina + cloreto de amônio + citrato de sódio solução oral   
  1. Cloridrato de epinastina comprimido revestido
  2. Cloridrato de epinastina solução oral   
  3. Cloridrato de fenazopiridina
  4. Cloridrato de fexofenadina comprimido revestido
  5. Cloridrato de fexofenadina suspensão oral
  6. Cloridrato de isotipendil
  7. Cloridrato de levamisol
  8. Cloridrato de lidocaína + cloreto de benzetônio
  9. Cloridrato de nafazolina + maleato de feniramina   
  10. Cloridrato de nafazolina + sulfato de zinco heptaidratado
  11. Cloridrato de oxomemazina + iodeto de potássio + benzoato de sódio + guaifenesina
  12. Cloridrato de papaverina + dipirona + extrato fluido de Atropa belladonna
  13. Cloridrato de procaína + timol + mentol + cânfora
  14. Cloridrato de terbinafina creme dermatológico   
  15. Cloridrato de terbinafina solução dermatológica
  16. Clotrimazol creme dermatológico
  17. Clotrimazol solução dermatológica
  18. Clotrimazol cápsula mole vaginal, comprimido vaginal
  19. Clotrimazol creme vaginal
  20. Coaltar
  1. Cobamamida + cloridrato de ciproeptadina
  2. Colagenase
  3. Deltametrina
  4. Desloratadina comprimido revestido
  5. Desloratadina solução oral   
  6. Dextrana + hipromelose
  7. Dextrana + hipromelose + glicerol
  8. Diclofenaco dietilamônio gel dermatológico
  9. Diclofenaco dietilamônio solução dermatológica
  10. Diclofenaco sódico
  11. Dicloridrato de levocetirizina
  12. Dicloridrato de levocetirizina
  13. Dipirona comprimido, comprimido efervescente
  14. Dipirona solução oral   
  15. Dipirona supositório
  16. Dipirona + cafeína
  17. Dipirona + citrato de orfenadrina + cafeína comprimido
  18. Dipirona + citrato de orfenadrina + cafeína solução oral
  19. Dipirona + cloridrato de isometepteno + cafeína
  20. Dipirona + cloridrato de prometazina + cloridrato de adifenina comprimido   
  1. Dipirona + cloridrato de prometazina + cloridrato de adifenina solução oral
  2. Dipirona + maleato de clorfeniramina + cafeína
  3. Dipirona + mucato de isometepteno + cafeína
  4. Docusato sódico + bisacodil
  5. Dropropizina
  6. Ebastina comprimido revestido   
  7. Ebastina solução oral
  8. Essência de terebentina + salicilato de metila + cânfora + mentol
  9. Eucaliptol + terpina monoidratada + mentol
  10. Fendizoato de cloperastina suspensão oral   
  11. Fendizoato de cloperastina solução oral
  12. Fenol + mentol
  13. Flurbiprofeno
  14. Flutrimazol creme dermatológico
  15. Flutrimazol solução dermatológica
  16. Guaifenesina   
  17. Guaifenesina + bromidrato de dextrometorfano
  18. Heparina sódica
  19. Hialuronato de sódio
  20. Hidróxido de alumínio
  1. Hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio
  2. Hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio + carbonato de cálcio comprimido mastigável, pó efervescente
  3. Hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio + carbonato de cálcio suspensão oral
  4. Hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio + oxetacaína
  5. Hidróxido de alumínio + hidróxido de magnésio + simeticona
  6. Hidroxiquinolina + trolamina
  7. Hipromelose
  8. Hipromelose + cetrimida
  9. Ibuprofeno cápsula gelatinosa mole, comprimido   
  10. Ibuprofeno  comprimido revestido
  11. Ibuprofeno suspensão oral
  12. Ibuprofeno comprimido revestido de liberação prolongada
  13. Ibuprofeno + paracetamol
  14. Ibuprofeno arginina
  15. Iodo + óleo de cade + ácido salicílico
  16. Iodopovidona pomada dermatológica
  17. Iodopovidona sabonete
  18. Lactulose
  19. Levomentol + cânfora   
  20. Levomentol + cânfora + óleo de eucalipto
  1. Loratadina cápsula gelatinosa mole
  2. Loratadina comprimido, comprimido revestido
  3. Loratadina solução oral   
  4. Loxoprofeno sódico
  5. Macrogol + bicarbonato de sódio + cloreto de potássio + cloreto de sódio
  6. Magaldrato
  7. Magaldrato + simeticona
  8. Maleato de bronfeniramina + cloridrato de fenilefrina comprimido revestido de liberação prolongada
  9. Maleato de bronfeniramina + cloridrato de fenilefrina solução oral 2 + 2,5 mg/mL
  10. Maleato de bronfeniramina + cloridrato de fenilefrina solução oral 0,4 + 1 mg/mL
  11. Maleato de clorfeniramina + ácido ascórbico + dipirona monoidratada
  12. Maleato de dexclorfeniramina comprimido, comprimido revestido
  13. Maleato de dexclorfeniramina creme dermatológico
  14. Maleato de dexclorfeniramina comprimido revestido de liberação prolongada
  15. Maleato de dexclorfeniramina solução oral
  16. Maleato de mepiramina + hidróxido de alumínio + ácido acetilsalicílico + cafeína
  17. Mebendazol comprimido
  18. Mebendazol suspensão oral
  19. Metronidazol
  20. Naproxeno
  1. Naproxeno sódico
  2. Nicotina adesivo transdérmico
  3. Nicotina pastilha, goma de mascar
  4. Nimesulida
  5. Nistatina + óxido de zinco
  6. Nitrato de miconazol creme dermatológico, pó dermatológico
  7. Nitrato de miconazol emulsão dermatológica, suspensão dermatológica
  8. Nitrato de miconazol creme vaginal
  9. Nitrato de oxiconazol creme dermatológico
  10. Nitrato de oxiconazol  solução dermatológica
  11. Óxido de zinco + salicilato de fenila + ácido bórico + enxofre + mentol + cânfora
  12. Palmitato de retinol (Vit. A) + colecalciferol (Vit. D3) + acetato de racealfatocoferol (Vit. E) + alantoína
  13. Paracetamol comprimido efervescente
  14. Paracetamol comprimido mastigável
  15. Paracetamol comprimido revestido
  16. Paracetamol comprimido revestido de liberação prolongada
  17. Paracetamol comprimido
  18. Paracetamol pó
  19. Paracetamol solução oral
  20. Paracetamol suspensão oral
  1. Paracetamol + cafeína
  2. Paracetamol + carisoprodol + cafeína
  3. Paracetamol + citrato de orfenadrina + cafeína
  4. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina
  5. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de carbinoxamina  comprimido
  6. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de carbinoxamina solução oral
  7. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de carbinoxamina + citrato de pentoxiverina
  8. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de clorfeniramina cápsula dura, comprimido
  9. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de clorfeniramina pó para solução oral
  10. Paracetamol + cloridrato de fenilefrina + maleato de clorfeniramina solução oral
  11. Paracetamol + maleato de carbinoxamina
  12. Paracetamol + propifenazona + cafeína
  13. Permetrina 10 mg/mL
  14. Permetrina 50 mg/mL
  15. Picossulfato de sódio
  16. Picossulfato de sódio + Cássia senna 1DH + Polygonum punctatum 1CH + Collinsonia canadensis 1CH
  17. Picossulfato de sódio + óleo mineral leve + ágarágar
  18. Policarbofila cálcica
  19. Policresuleno + cloridrato de cinchocaína pomada retal   
  20. Policresuleno + cloridrato de cinchocaína supositório
  1. Polissulfato de mucopolissacarídeo
  2. Prometazina
  3. Racemetionina + cloreto de colina
  4. Racemetionina + cloreto de colina + inositol + cianocobalamina
  5. Saccharomyces boulardii
  6. Salicilato de etilenoglicol + levomentol + acetato de racealfatocoferol + cânfora
  7. Salicilato de metila + cânfora + levomentol adesivo dermatológico
  8. Salicilato de metila + cânfora + levomentol pomada dermatológica
  9. Salicilato de metila + cânfora + levomentol solução dermatológica
  10. Salicilato de metila + cânfora + mentol pomada dermatológica
  11. Salicilato de metila + cânfora + mentol solução dermatológica
  12. Salicilato de metila + extrato fluido de Beladona + cânfora
  13. Salicilato de metila + iodo
  14. Salicilato de metila + levomentol adesivo dermatológico
  15. Salicilato de metila + levomentol gel dermatológico
  16. Salicilato de metila + mentol gel dermatológico, creme dermatológico
  17. Salicilato de metila + mentol pomada dermatológica
  18. Salicilato de metila + mentol solução dermatológica
  19. Salicilato de metila + óxido de zinco + bálsamo do peru + extrato fluido de Beladona + cânfora   
  20. Salicilato de metila + salicilato de etilenoglicol + levomentol + cânfora
  1. Salicilato de metila + salicilato de etilenoglicol + levomentol + cânfora + timol   
  2. Silimarina + racemetionina
  3. Sorbitol + laurilsulfato de sódio
  4. Subgalato de bismuto + óxido de zinco
  5. Subgalato de bismuto + óxido de zinco + iodeto de timol
  6. Sulfato de magnésio + ácido cítrico + bicarbonato de sódio
  7. Sulfato de neomicina
  8. Sulfato de neomicina + bacitracina zíncica
  9. Sulfato de neomicina + tartarato de bismuto e sódio + cloridrato de procaína
  10. Sulfato de neomicina + tartarato de bismuto e sódio + cloridrato de procaína + mentol
  11. Sulfato ferroso comprimido revestido   
  12. Sulfato ferroso solução oral
  13. Sulfeto de selênio
  14. Tintura Matricaria chamomilla L + cloridrato de lidocaína + polidocanol gel   
  15. Tintura Matricaria chamomilla L + cloridrato de lidocaína + polidocanol solução
  16. Tioconazol
  17. Tirotricina + sulfato de hidroxiquinolina
  18. Tirotricina + sulfato de hidroxiquinolina + benzocaína
  19. Tirotricina + sulfato de hidroxiquinolina + cloridrato de lidocaína
  20. Tirotricina + sulfato de hidroxiquinolina + fluoreto de sódio
  21. Tribenosídeo + cloridrato de lidocaína creme retal
  22. Tribenosídeo + cloridrato de lidocaína supositório
  23. Ureia
 

Lista de fitoterápicos isentos de prescrição

  1. Aesculus hippocastanum
  2. Aloe ferox+Gentiana lutea
  3. Aloe vera
  4. Arnica montana
  5. Atropa belladona
  6. Calendula officinalis   
  7. Cassia fistula + Senna alexandrina
  8. Centella asiatica
  9. Cinchona calisaya
  10. Cinnamomum zeylanicum + Caryophyllus aromaticus
  11.  Crataegus oxyacantha + Salix alba + Passiflora incarnata
  12. Cynara scolymus
  13. Cynara scolymus + Peumus boldus
  14. Eucaliptus globulus
  15. Gentiana lutea + Chamaemelum nobile
  16. Glycine max
  17. Glycyrrhiza glabra
  18. Hamamelis virginiana
  19. Harpagophytum procumbens
  20. Hedera helix
  1. Matricaria chamomilla + Gentiana lutea + Nux vomica + Peumus boldus
  2. Matricaria recutita
  3. Maytenus ilicifolia
  4. Maytenus ilicifolia + Jateoriza palmata   
  5. Melissa officinalis
  6. Mikania glomerata
  7. Mikania glomerata + Polygala senega + Cephaelis ipecacuanha
  8. Nasturtium officinale
  9. Operculina alata
  10. Panax ginseng
  11. Passiflora alata + Erythrina mulungu + Crataegus oxycanta
  12. Passiflora incarnata
  13. Passiflora incarnata + Crataegus oxyacanta + Salix alba
  14. Paullinia cupana
  15. Peumus boldus
  16. Peumus boldus + Frangula purshiana + Rheum palmatum
  17. Plantago ovata
  18. Plantago ovata + Senna alexandrina
  19. Polygala senega
  20. Polypodium leucatomos Poir
  1. Rhamnus purshiana
  2. Rhodiola rosea
  3. Salix alba
  4. Senna alexandrina
  5. Serenoa repens
  6. Silybum marianum
  7. Solidago microglossa
  8. Symphytum officinale
  9. Trichilia catigua + Croton heliotropiifolius + Paullinia cupana
  10. Uncaria tomentosa
  11. Vitis vinífera
  12. Zingiber officinale
   

Perigos da automedicação

Segundo a Anvisa, 18% das mortes por envenenamento no Brasil são causadas por automedicação.

Mesmo os medicamentos isentos de prescrição podem causar reações adversas, daí a importância de farmacêuticos e balconistas orientarem a população quanto aos riscos envolvidos.

Por exemplo, vários medicamentos como antitérmicos, antiácidos e xaropes podem acabar encobrindo doenças mais graves.

Já o uso de anti-inflamatórios pode sobrecarregar os rins, e os analgésicos, além de não curarem a enxaqueca, podem até piorá-la!

No caso de antibióticos, então, os cuidados em relação à automedicação devem ser redobrados.

Diante disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) desenvolveu o conceito de uso racional de medicação, alertando para os diversos riscos de práticas nocivas como a automedicação.

Segundo a Organização, cerca de 50% dos medicamentos receitados no mundo são dispensáveis ou consumidos de maneira inadequada.

Esse consumo equivocado gera problemas que vão além dos meros efeitos colaterais que qualquer medicamento possui.

As consequências têm os mais variados graus de complexidade e incluem reações alérgicas, intoxicação, aumento de resistência ao remédio, dependência e até morte!

Portanto, é bom lembrar e manter os clientes informados de que a isenção de prescrição médica não significa que um medicamento pode ser consumido à vontade ou sem cuidados.

   

Conclusão: além da lista de medicamentos que não precisam de receita, conheça também os medicamentos controlados

Baixar a lista de medicamentos que não precisam de receita significa conhecer melhor os produtos que comercializa, mas apenas uma parte deles.

Para garantir a excelência do seu estabelecimento, é preciso informar-se também a respeito dos medicamentos controlados e até mesmo dos não medicamentos do seu catálogo.

Muito do que discutimos aqui em relação à automedicação, por exemplo, ou quanto ao sistema de tarjas, também já conta como informação sobre medicamentos controlados.

Porém, para não cometer erros no dia a dia da farmácia, é indispensável conhecer ainda o sistema de cores das receitas para medicamentos controlados.

Essas receitas podem ser de cor branca, amarela ou azul, cada uma com finalidade e forma de utilização diferentes.

Para se aprofundar no assunto, confira nossos artigos específicos sobre cada uma dessas receitas.

Clicando no link abaixo, você será direcionado(a) ao artigo sobre receita amarela, e a partir daí, encontrará os links para artigos sobre a receita azul e a branca de controle especial.

Informe-se e garanta o melhor serviço em seu estabelecimento!


Hey! Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar produzindo conteúdos de qualidade que melhoram o dia a dia da sua farmácia!

Sua farmácia continuará perdendo clientes
por não ter presença online?

Assista agora uma demonstração sem compromisso.
ASSISTIR DEMONSTRAÇÃO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram