Medicamentos isentos de prescrição no mercado brasileiro

Você sabe o que são medicamentos isentos de prescrição?

Os MIPs (ou OTC) são um conjunto de medicamentos liberados para venda livre pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Isso significa que oferecem um grande mercado de atuação que alia autocuidado e venda com responsabilidade.

Os medicamentos isentos de prescrição são atualizados periodicamente pela agência reguladora, a fim de acompanhar o uso racional destes fármacos pela sociedade, promovendo mais saúde a todos.

Apesar de não precisarem de nenhuma documentação formal emitida por profissionais de saúde, como um receituário médico ou uma notificação de receita, para serem comercializados em farmácias e drogarias, é importante que sua venda seja acompanhada por orientação da própria farmácia

Além de fidelizar o seu público, você orienta e promove um uso seguro de medicamentos pelos seus consumidores.

Por isso, separamos todas as informações atualizadas e relevantes sobre os MIPs para te ajudar a conhecê-los melhor e fazer uma venda com mais responsabilidade e qualidade de vida para todos.

E se você quiser baixar a lista de MIPs atualizada, basta preencher o formulário abaixo que a enviamos no seu e-mail em menos de 1 minuto!

O que são medicamentos isentos de prescrição?

MIPs são medicamentos que, conforme a legislação, podem ser vendidos, comprados, solicitados, fornecidos, dispensados ou doados sem obrigatoriedade de qualquer formalização de documento emitido por profissional legalmente habilitado para prescrevê-lo. 

Ou seja, MIPs podem ser dispensados sem receita médica ou notificação de receita e não possuem qualquer tipo de tarja.

Os medicamentos isentos de prescrição já existem no cenário farmacêutico brasileiro há muitos anos. Eles foram citados pela primeira vez em 1973, na promulgação da Lei nº 5.991, que dispôs sobre o controle sanitário de medicamentos no país.

Ainda, na Resolução de Diretoria Colegiada nº 38  de 2003 da Anvisa, eles foram regulamentados oficialmente e, todos os anos, surgem novas atualizações que buscam promover um uso racional e seguro dos MIPs no Brasil.

Os Mips são tidos como “remédios sem receita” porque tratam-se de um conjunto de medicamentos, previamente aprovados, que possuem alta eficácia e alto índice terapêutico. 

Isso significa que esses medicamentos são particularmente seguros para a maioria da população e, por isso, podem ser comercializados sem grandes danos à saúde das pessoas.

   

Benefícios dos medicamentos isentos de prescrição

Você sabe quais são os benefícios promovidos pelos medicamentos isentos de prescrição para sua farmácia quanto para os consumidores? 

Para os consumidores, os MIPs tratam uma série de problemas e condições de saúde, de agudas a crônicas.

Já para as farmácias, eles representam uma extensa parcela do faturamento. 

Desta forma, saber como trabalhar sua venda, sua orientação e a dispensação pode destacar sua empresa, frente a outros negócios menos preparados.

Além de serem de fácil comercialização, esses remédios sem receita podem ficar em áreas não supervisionadas de estabelecimentos físicos e podem ser comercializados através de e-commerces e entregues no delivery direto.

Outros benefícios dos MIPs são a otimização de recursos estatais para medicamentos mais custosos — principalmente para condições crônicas —, menor preço final para o consumidor, facilidade de tratamento de diversas condições sem a necessidade de consulta médica e melhor qualidade de vida com responsabilidade.

Além de facilitar o acesso, os MIPs diminuem os custos e permitem que sua farmácia conquiste uma maior parcela de mercado com vendas mais escaláveis.

Para os gestores de farmácia que visualizam novos horizontes, os medicamentos isentos de prescrição abrem uma janela para a adoção de uma clínica farmacêutica atuante. 

Isso porque apesar de não precisarem de prescrição formal e tampouco consulta prévia, nem todos os consumidores desses medicamentos possuem o conhecimento para consumi-los com responsabilidade.

Ao adotar sistemas de orientação farmacêutica, que previnem o uso irresponsável, sua organização farmacêutica se destaca no mercado e escala a lucratividade acima das perspectivas.

   

Critérios de classificação de MIPs

Nem todos os medicamentos podem ser vendidos sem prescrição médica e, nas últimas legislações aprovadas, foram determinados fatores essenciais que um fármaco precisa apresentar para serem livremente comercializados no Brasil.

 

São sete características principais definidas em 2016 que podem, com o tempo, serem revistas e reformuladas. Para que um medicamento se caracterize como “isento de prescrição” ele precisa oferecer:

  • alto índice terapêutico, promovendo um uso com segurança;
  • mais de 10 anos no mercado brasileiro;
  • baixa posologia, ou seja, uso por um pequeno período de tempo;
  • solução para sintomas facilmente detectáveis por qualquer pessoa;
  • facilidade na administração, se possível em comprimido ou formas líquidas;
  • apresentar baixa toxicidade e interação com alimentos e outros medicamentos;
  • não possuir poder de causar dependência.
 

Todos esses critérios são importantes para determinar a segurança no consumo destes medicamentos por todas as pessoas. 

Apesar disso, como tratam-se de fármacos, é sempre preciso ter cuidado com seus usos e relatar quaisquer reações adversas causadas por eles.

Dessa forma, podem ser incluídos nos MIPs medicamentos para diversas condições mais simples, como gripes, resfriados e dor de garganta. 

Eles tratam “dores comuns” dos brasileiros e não apresentam riscos de intoxicação nem dependência, o que é muito importante quando falamos de medicamentos de venda sem supervisão médica.

Além disso, apesar de serem fármacos seguros, o uso não deve ser estimulado por longos períodos de tempo e, quando o paciente não perceber melhoras na saúde após o seu uso, deve-se recomendar acompanhamento médico para reavaliação do quadro clínico.

   

Diferenças entre MIPs e medicamentos tarjados

Os MIPs são encontrados em diversas áreas de uma drogaria. 

Como não dependem de uma supervisão clínica, podem estar em gôndolas, prateleiras e acompanhados de outros produtos, como suplementos e até cosméticos, naquilo que conhecemos como área de circulação livre

Eles se diferenciam em algumas características dos chamados “medicamentos tarjados”, que dependem de prescrição médica.

Além da diferença evidente da necessidade de prescrição médica e da localização dentro de um estabelecimento farmacêutico, os MIPS — quando comparados com medicamentos tarjados — apresentam posologia abrangente e, em sua grande maioria, são aplicados em condições e doenças que podem evoluir naturalmente para a cura do indivíduo.

Assim, são remédios aplicados para a profilaxia da doença em questão, que promovem autocuidado e mitigação de dor e sintomas.

   

Condições de saúde resolvidas com MIPs

São diversas as condições clínicas que podem ser tratadas com medicamentos isentos de prescrição. 

Como vimos, periodicamente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária atualiza sua lista de MIPs, podendo incluir, excluir ou modificar as classes terapêuticas disponíveis para a venda livre.

Os medicamentos dispostos na Lista de Medicamentos Isentos de Prescrição (LMIP) podem resolver a maioria dos problemas de evolução lenta dos brasileiros, como gripes, resfriados, cólicas, lombalgias, flatulências, micoses simples e ressecamento ocular.

A Lista de Medicamentos Isentos de Prescrição está disponível em PDF para toda a população e profissionais de saúde e pode ser acompanhada sempre através das instruções normativas da Agência.

Para baixá-la, clique no botão abaixo:

     

Medicamentos vendidos sem receita

Algumas das classes de medicamentos que podem ser vendidas livremente no Brasil são:

  • vitaminas e aminoácidos;
  • antiinflamatórios não esteroidais, como ibuprofeno, cetoprofeno e naproxeno;
  • analgésicos em geral, exceto narcóticos;
  • antibacterianos tópicos para problemas de pele, como a neomicina e bacitracina
  • cicatrizantes;
  • relaxantes musculares;
  • antiácidos e antieméticos gerais, excluindo-se bromoprida, metoclopramida, mebeverina e inibidores da bomba de próton;
  • e muito mais!

Para doenças mais graves ou suspeitas de condições clínicas complicadas, os MIPS apenas favorecem um tratamento dos sinais mais claros e nem sempre possuem a capacidade de resolvê-las, pois muitas vezes tratam sintomas que podem ser facilmente confundidos com outras enfermidades. 

Para estas, recomenda-se acompanhamento médico ou odontológico.

   

Quais são os medicamentos isentos de prescrição mais vendidos?

Não é segredo que os medicamentos isentos de prescrição respondem por uma grande parcela de faturamento de uma farmácia ou drogaria

Com grande mercado e em expansão nos últimos anos, é preciso dar atenção a esse nicho e se tornar referência no mercado tanto em preço quanto em dispensação responsável, a fim de construir uma base fidelizada de clientes.

Segundo pesquisa desenvolvida pela Close-Up Retail Market, em 2020 foram vendidos mais de 1,3 bilhão  de unidades de comprimidos de MIPs no Brasil, demonstrando a grande fatia do mercado que pode ser aproveitada, ainda com possibilidades de expansão para os próximos anos.

O mais vendido foi o medicamento Dorflex, para o tratamento de dores gerais e musculares da farmacêutica Sanofi, com quase 25 milhões de unidades pelo país. 

Outros medicamentos voltados para o controle de dores, febre, gripes e resfriados, como Novalgina e Neosaldina, também estiveram no topo.

Os remédios sem receita para desconfortos estomacais, rinites, alergias respiratórias, cólicas e resfriados também apareceram no estudo.

Com essa quantidade exorbitante de unidades vendidas de MIPs, nota-se a importância de estar atento a este mercado, oferecendo as melhores soluções e marcas para seus clientes, variando a disponibilidade de MIPS no seu estabelecimento e buscando compreender as sazonalidades das principais enfermidades de cada região.

Por isso, faça um bom estudo para a sua loja física e para a captação de clientes no seu e-commerce, para oferecer as melhores soluções em cuidado através dos medicamentos isentos de prescrição para seus clientes.

   

Cuidados na dispensação de MIPs

Apesar de possuírem venda livre, os medicamentos isentos de prescrição não estão livres de uma boa dispensação farmacêutica. 

Muito pelo contrário, aliar a venda destes medicamentos com um baixo custo e serviços de orientação ao paciente podem te tornar referência em saúde no segmento de farmácias on-line.

Já ouviu falar de prescrição farmacêutica? Farmacêuticos têm capacidade e liberdade para orientar a venda de medicamentos isentos de prescrição para seu cliente de forma ampla e segura. 

Com responsabilidade, esses profissionais podem orientar quanto ao uso, principalmente para aqueles pacientes que não detém o conhecimento das classes farmacêuticas e que não passaram por uma consulta médica prévia.

Apostar em uma venda orientada de medicamentos isentos de prescrição é uma ótima opção quando pensamos na fidelização de clientes. 

Isso porque eles notam o cuidado do seu estabelecimento até quando seus problemas de saúde parecem mínimos.

Por isso, ofereça aos seus clientes um cuidado especial com a dispensação de MIPs, oriente-os a sempre conferir as informações dispostas na bula que acompanha o medicamento e direcione-os a um atendimento médico caso os sintomas persistam.

 

Atenção farmacêutica E MIPs

Por outro lado, é importante estimular o autocuidado e a responsabilidade do paciente com sua própria saúde. 

Essa é uma das principais diretrizes de reformulação da saúde pública no Brasil, que incentiva o próprio indivíduo a se responsabilizar pela sua saúde, antes mesmo de surgirem sintomas de qualquer condição.

É uma atitude ativa, que se apoia na oferta de atividades que estimulam o bem-estar e a qualidade de vida e que tem muito a ganhar com a livre disposição de medicamentos isentos de prescrição em farmácias e drogarias.

 

Vendas de medicamentos isentos de prescrição em supermercados?

No dia 20 de maio de 2021, o Deputado Federal Darci de Matos apresentou o Projeto de Lei n° 1896/21 que objetivava permitir a dispensação de medicamentos em supermercados e outros estabelecimentos congêneres. 

Essa é uma medida polêmica que não é bem aceita pela comunidade farmacêutica no Brasil.

Segundo o projeto do deputado, supermercados e estabelecimentos similares a estes poderiam dispensar medicamentos isentos de prescrição porque, justamente, estes produtos possuem venda livre e não dependem da autorização de um profissional de saúde para sua venda.

Para o autor da PL, não é necessário atrelar um farmacêutico e suas atribuições a estes fármacos, uma vez que apresentam uma série de testes e características que já certificam sua segurança e eficácia para a sociedade.

Para a comunidade farmacêutica existem riscos sanitários que se agravariam com esta medida.

Levar os MIPs para um ambiente de consumo externo a um estabelecimento de saúde pode estimular a automedicação irresponsável e impedir que pessoas com baixo conhecimento sobre estes medicamentos possam sanar suas dúvidas e serem corretamente orientadas sobre seus usos.

Além disso, supermercados e estabelecimentos similares não possuem as mesmas obrigações técnicas de manutenção da qualidade dos medicamentos, não ficando responsáveis pelo controle de qualidade dos mesmos — obrigação essa que cabe aos estabelecimentos farmacêuticos.

Essa é uma discussão que vai demandar estudos e adaptações de diversos setores para que consiga ser implementada. 

Por hora, é preciso assegurar a relação dos medicamentos isentos de prescrição com uma automedicação responsável e orientada. Afinal, a isenção de prescrição médica não isenta a orientação profissional.

   

Conclusão

Nota-se que o mercado de MIPs no Brasil é muito amplo e abre muitas possibilidades de atuação e crescimento para sua farmácia e drogaria. 

Conhecer melhor as classes de remédios sem receitas, a forma de dispensação com orientação e as possibilidades de vendas em locais como supermercados pode influenciar no seu faturamento. Por isso, fique atento!

Para baixar a lista de medicamentos isentos de prescrição clique no botão abaixo:

   

Conheça a MyPharma

Aumente as vendas do seu negócio oferecendo presença digital e aproveite para oferecer medicamentos isentos de prescrição para clientes em todo o Brasil.

A MyPharma pode te ajudar neste processo. 

Somos uma solução em inovação tecnológica e gestão estratégica, que permite ao seu empreendimento conquistar muito mais através da internet.  

Mais que isso, desenvolvemos uma plataforma digital de sites e aplicativos para o setor de estabelecimentos farmacêuticos e drogarias a fim de promover seu faturamento através do varejo on-line.

Para nós, atrelar tecnologia com medicamentos isentos de prescrição pode transformar o futuro dos seus negócios!

Quer saber mais sobre como aumentar as suas vendas e promover o seu negócio com MIPs pela internet?

Então clique no botão abaixo para conversar com um de nossos consultores.

   

Hey! Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar produzindo conteúdos de qualidade que melhoram o dia a dia da sua farmácia!

Sua farmácia continuará perdendo clientes
por não ter presença online?

Assista agora uma demonstração sem compromisso.
ASSISTIR DEMONSTRAÇÃO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram