Custo das Mercadorias Vendidas: o que é, como calculá-lo e otimizá-lo para aumentar os lucros da sua farmácia

Você já ouviu falar sobre o custo das mercadorias vendidas na farmácia? 

O CMV é um dos principais indicadores de saúde de um empreendimento que você precisa estar atento, desde o início das suas atividades, para crescer com sabedoria e planejamento.

É uma situação comum farmácias fecharem o mês com um aumento no faturamento bruto, ou seja, mais vendas gerais. Mas, antes de comemorar, percebe-se algo estranho: o lucro bruto não mudou, e, muitas vezes, até diminuiu. 

Essa situação liga um alerta no trabalho dos gestores, que investigam e descobrem que o CMV pode estar alto e impactando o fluxo de caixa do estabelecimento.

Dessa maneira, é importante saber calcular esse fator para determinar uma gestão estratégica diferenciada. 

Para farmácias e drogarias, determinar o CMV é um ponto ainda mais relevante se pensamos na alta rotatividade dos medicamentos e na manutenção de validades dos remédios mantidos no seu estabelecimento.

Assim, separamos diversas informações relevantes sobre o Custo das Mercadorias Vendidas na farmácia e no delivery, como calcular estes valores e o que fazer com os resultados obtidos para promover ainda mais seu estabelecimento farmacêutico.

O que é o Custo das Mercadorias Vendidas (CMV)?

A primeira coisa que precisamos compreender é: o que é CMV?

CMV, que significa Custo das Mercadorias Vendidas, nada mais é do que a soma total de tudo que foi gasto para adquirir, produzir, armazenar e dispensar um produto. É o custo do momento que o produto entra na sua farmácia até o momento que ele sai.

Esta sigla faz parte do planejamento estratégico e financeiro de qualquer negócio, de todos os nichos de atuação — assim como em farmácias e drogarias — e analisa dados com o objetivo principal de aumentar a conversão de vendas.

O CMV pode ser calculado de diversas formas. Ele é um dos principais indicadores de faturamento do seu negócio e não deve ser, de maneira alguma, esquecido. 

Com uma simples conta, você determina esse custo e, com ele, pode descobrir diversos outros fatores, como o lucro bruto do seu negócio por determinado período, por exemplo.

   

Como calcular o custo das mercadorias vendidas?

Existem diversas maneiras de calcular o CMV do seu negócio. 

Mas antes, é importante conhecer alguns conceitos de finanças e gestão estratégica que vão fazer muita diferença na hora de analisar os dados recebidos.

Caso não tenha facilidade com estes termos, consulte sempre um(a) contador(a) para aprender cada vez mais sobre a saúde financeira da sua farmácia ou drogaria.

Vejamos o primeiro deles que é o “faturamento geral”

Ele determina a soma de tudo que foi acumulado pelo empreendimento em um determinado período, tanto para medicamentos quanto para outros produtos e insumos vendidos na sua farmácia.

Ao determinar o faturamento geral, é preciso compreender que, para produzir resultados positivos, o Custo da Mercadoria Comprada (CMC) precisa ser sempre menor do que o Custo da Mercadoria Vendida (CMV).

Agora, vamos para a parte prática: como calcular o custo de mercadoria vendida da sua farmácia

Para isso, você precisará de três dados principais relacionados ao seu faturamento:

  • estoque inicial;
  • novas compras;
  • estoque final.

Com essas três informações simples, você consegue determinar o gasto médio da sua farmácia. Com ele, é possível descobrir uma série de outras variáveis, como lucro, estoque mínimo e inventário.

Dessa forma, o Custo das Mercadorias Vendidas determina o preço a pagar ao fornecedor direto da sua farmácia ou drogaria, seja uma indústria ou uma distribuidora farmacêutica.

Assim, você consegue descobrir se o estoque da sua farmácia está sendo bem gerenciado, com um bom fluxo de transferências, sem produtos encalhados e se seus fornecedores entregam itens de qualidade periodicamente à sua farmácia.

Até aqui, entendemos que o CMV é um dos indicadores mais fundamentais para compreender falhas nos ganhos da sua farmácia ou drogaria, já que ele calcula o peso dos produtos sobre o lucro total dos negócios.

Vejamos então como calcular o CMV da sua farmácia!

   

3 maneiras de calcular o CMV para farmácias

Existem diversas formas de se calcular o CMV da sua farmácia.  Separamos três delas para te ajudar:

 

CMV total

O Custo das Mercadorias Vendidas geral da sua farmácia pode ser obtido com a seguinte operação:

CMV = EI + C - EF

Sendo:

  • EI: estoque inicial
  • C: compras realizadas no período de análise
  • EF: estoque final 

No caso de uma farmácia, é preciso calcular e compreender que algumas mercadorias, como medicamentos isentos de prescrição, podem ser devolvidas se suas embalagens primária e secundária não apresentarem rasuras ou não tiverem sido violadas e esse valor também deve ser acoplado à conta do CMV.

CMV = EI (estoque inicial) + C (compras) + DV (devoluções de vendas) - EF (estoque final) 

 

CMV por produto

Também é possível calcular o CMV unitário para sua farmácia. 

Apesar de não ser muito simples e até custoso, por utilizar o tempo do colaborador e gestor em atividades secundárias, muitas vezes é o tipo de relatório que consegue determinar exatamente onde estão os pontos de falhas e necessidades de ajustes para o crescimento do seu negócio.

Para calcular o CMV por produto, o cálculo é o mesmo, a diferença são os produtos que serão utilizados. Ao invés de se utilizar todo o seu estoque, calcule o estoque e o investimento de compras para cada grupo de produtos ou cada produto em particular.

 

CMV por faturamento

Por fim, o CMV também pode ser determinado por um percentual de faturamento geral da sua farmácia ou drogaria.

Assim, para realizar essa conta, deve-se encontrar o percentual de custo médio a partir da totalidade de notas fiscais emitidas — o que determina o seu faturamento total. 

Com esse valor, aplique-o de maneira uniforme a todos os produtos vendidos.

Para encontrar este valor, utilize a fórmula:

CMV:  CF (Custo Fixo) ÷ Faturamento x 100

 

Qual o CMV ideal para farmácias?

Para descobrir um CMV ideal, é preciso utilizar o valor encontrado do CMV bruto, dividi-lo pelo valor de venda líquida do seu negócio e multiplicar o valor encontrado por 100, a fim de determinar um índice em porcentagem. 

Esse índice não deve ser nem alto demais, acima dos 71% indicando custos muito altos para a farmácia e descontos muito abrangentes e nem baixo demais, abaixo dos 60%, porque demonstra uma falta de mercadorias e medicamentos gerais no seu estabelecimento. 

   

Motivos para calcular o CMV

O CMV é um dado muito importante que impacta todos os setores de uma farmácia. Isso porque ele indica qual a melhor forma de cuidar do estoque, de aumentar a rotatividade dos produtos e da necessidade de ações promocionais com itens em grande quantidade do seu negócio. 

Com ele, você consegue compreender resultados de lucratividade e faturamento, assim como perceber as oscilações do mercado, fornecedores e clientes a sua volta.

Um dos principais motivos para manter um CMV atualizado na sua farmácia é a busca por uma economia de recursos financeiros. 

Com dados reais, você gasta menos com a manutenção do seu estoque e não precisa fazer compras e vendas de emergência, aumentando o seu faturamento e desonerando as despesas finais.

Outro ponto importante é que, ao calcular o CMV, pode-se planejar melhor os investimentos a curto, médio e longo prazos. 

O lucro líquido que sua empresa produz pode ser aplicado de diversas maneiras e, se o custo de compras e vendas dos medicamentos estiver alto, ele pode ser impactado.

   

Como o Custo das Mercadorias Vendidas impacta os lucros da sua farmácia?

Os lucros da sua farmácia também são impactados pelo CMV porque, à medida que esse custo oscila em um determinado período, diminui-se o valor disponível para novas aplicações e investimentos. 

Além disso, ele serve para indicar que é hora de revisar a planilha de estoque do seu empreendimento e o momento ideal para buscar por novos fornecedores e distribuidores. 

Afinal, negociar novos parceiros e stakeholders é uma estratégia especial de diminuição do CMV.

Dessa maneira, o CMV contribui de forma contínua para o desenvolvimento e gestão estratégica da sua empresa — quando bem analisado e cuidado — a fim de oferecer os melhores serviços para os clientes, enquanto se produz o menor gasto nas suas despesas operacionais.

   

O que não é contabilizado na hora de calcular o CMV?

Nem tudo entra na conta do CMV!

Por isso, é muito importante contar com o auxílio de uma equipe administrativa, financeira e contábil para te ajudar com a gestão da sua empresa, procurando melhores estratégias para desenvolver sua farmácia.

Existem ainda muitos outros fatores que não devem ser contabilizados na hora de calcular o Custo das Mercadorias Vendidas em um determinado período, pois eles não são impactados na hora de calcular o lucro bruto.

Fique atento a eles para fins de outras avaliações, mas não os insira no cálculo do seu CMV.  

Alguns exemplos desses indicadores são:

  • transporte e frete;
  • armazenamento da mercadoria;
  • taxas de administração, como conta de internet, telefone e energia elétrica;
  • comissões e despesas relativas às vendas;
  • gastos financeiros gerais, como empréstimos bancários;
  • impostos, como PIS e ICMS.

Apesar de frequentes, esses gastos são deduzidos e não entram no cálculo do lucro líquido da sua farmácia. 

Dessa maneira, não incidem também nos cálculos desenvolvidos para determinar ou não a situação do seu CMV.

   

Como reduzir o CMV 

Apesar de parecer difícil, calcular o Custo das Mercadorias Vendidas e buscar formas de ajustá-lo na sua farmácia é simples.

Para gerar corretamente um CMV, é preciso realizar um cadastro completo de todos os produtos da sua farmácia no sistema, a fim de gerar dados confiáveis para as análises. 

Vale ressaltar que  caso o medicamento seja vendido fracionado, é preciso cadastrá-lo de forma a não distorcer os valores da caixa inteira e do valor de venda final de cada cartela.

Confira abaixo algumas maneiras de reduzir o CMV do seu estabelecimento.

 

Aumente os preços

A primeira delas é aumentar o valor de venda de medicamentos, produtos de perfumaria e correlatos da sua farmácia. 

Esse aumento precisa cobrir os gastos com a manutenção do seu estoque, mas também corresponder aos padrões do mercado. 

Cuidado para não aumentar os preços e perder clientes! Faça isso pautando-se nos valores do mercado e sem exceder o PMC da Tabela CMED.

 

Controle o estoque

Outra maneira de reduzir o CMV do seu negócio é otimizar seu estoque. 

Compras inteligentes que respeitem o estoque mínimo, mas que não causem falhas na distribuição de medicamentos — principalmente dos mais essenciais para sua clientela — são o segredo do sucesso!

Um estoque bem manejado consegue armazenar a quantidade ideal de itens sem sobrecarga nem faltas, quando alimentado por um sistema de compras produtivo, que aproveite os melhores custos-benefícios e apresente uma ótima efetividade.

 

Aumente as opções de fornecedores

Por fim, para reduzir os custos é preciso procurar novos fornecedores, que ofereçam a mesma qualidade nos produtos ofertados a um preço mais competitivo.

Uma boa cartela de fornecedores e distribuidores de medicamentos à sua disposição pode transformar os índices de lucratividade e deslanchar o crescimento do seu estabelecimento.

Saiba como prospectar os melhores e manter uma boa relação com todos eles para parcerias duradouras e benéficas para os dois lados.

   

O CMV e o estoque da sua farmácia

O estoque da sua farmácia pode impactar diretamente o Custo das Mercadorias Vendidas e, consequentemente, o lucro bruto que sua empresa obtém. 

Isso porque esse indicador deve ser suficiente para cobrir as despesas gerais e gerar uma sobra que pode (e talvez deva)  ser investida em crescimento e inovação.

O custo para manter um estoque abarrotado será maior que o faturamento mensal da sua farmácia. 

Por outro lado, um estoque com muitas faltas também gera custos, por dependerem de compras de última hora ou déficits frente à concorrência.

Por isso, para manter um CMV adequado é preciso conferir e controlar o estoque dos seus medicamentos e produtos de forma inteligente e eficaz.

Quer começar a controlar o seu estoque para manter seu CMV dentro do ideal?

Então baixe a nossa planilha de controle de estoque de medicamentos e dê o primeiro passo nessa jornada!

 

Conclusão

Em resumo, o CMV é um item essencial do planejamento financeiro da sua farmácia. A partir dele, você consegue descobrir se sua farmácia ou drogaria está produzindo lucros e crescendo ou está estagnada no mercado.

Nota-se que para manter o desenvolvimento e produtividade positiva do seu negócio, é preciso gastar menos para adquirir e manter seus produtos e faturar mais com as vendas obtidas. Se algum desses valores estiver anômalo, seu lucro bruto ficará defasado.

Com os dados do CMV, a administração da sua farmácia pode tomar decisões que promovam o seu faturamento, como aumentar os preços de vendas, controlar o estoque mínimo de medicamentos  e, também, procurar por fornecedores e distribuidores que ofereçam maiores vantagens para seu lucro final.

Com um controle rígido de indicadores como o CMV, você conquista um maior controle de estoque e relação com melhores negociações com empresas, distribuidoras e fornecedoras sérias

Assim, não importa o tamanho da sua farmácia, mas sim a vontade de crescer e se desenvolver de uma forma que seja financeiramente saudável!

Quer saber como negociar com essas empresas para tentar diminuir o CMV da sua farmácia?

Então clique no botão abaixo!

 

Hey! Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe com seus amigos. Isso nos ajuda a continuar produzindo conteúdos de qualidade que melhoram o dia a dia da sua farmácia!

Sua farmácia continuará perdendo clientes
por não ter presença online?

Assista agora uma demonstração sem compromisso.
ASSISTIR DEMONSTRAÇÃO
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram